A história do Croissant


Foto: Dilyara Garifullina via Unsplash

Em cada esquina de Paris tem um café, e o que nunca falta em cada um destes estabelecimentos é um cafezinho acompanhado de um bom croissant. Esse pãozinho é extremamente famoso na França, e por isso muitas pessoas atribuem a sua origem a esse país. Mas o que muita gente não sabe é que, na verdade, o croissant surgiu na Áustria, mais precisamente na época das invasões turco otomanas. No entanto, existe duas histórias acerca dessa origem, sobre as quais falaremos agorinha.

Foto: Jacek Dylag via Unsplash

A primeira teoria sobre a origem do croissant é de que durante as invasões do Império Otomano à Áustria, em 1683, o inimigo estaria cavando um túnel durante a noite para chegar ao centro da cidade de Viena, e eles teriam sido bem-sucedidos se não fossem os padeiros. Isso mesmo! Os padeiros! Reza a lenda que eles teriam ouvido barulhos estranhos e ao perceberem a presença do exército otomano em túneis subterrâneos eles teriam avisado o exército austríaco e a invasão foi contida. Como prêmio eles escolheram a honra de produzir uma iguaria que simbolizasse a vitória daquele dia, e então surgiu um pãozinho em formato de meia-lua (como o desenho da bandeira otomana) chamado Kipferl.

A outra teoria, defendida por muitos pesquisadores, diz que o responsável pela criação desse pãozinho de massa amanteigada seria, na verdade, um comerciante vienense de origem polaca chamado Franz Georg Kolchitsky, que vivia em Constantinopla. Segundo os relatos, esse homem teria conhecido o café nessa cidade em 1475 e, com cerca de 500 sacas do produto abandonadas pelos Turcos após derrota em batalha, abriu um café onde passou a servir a bebida. Como acompanhamento para o cafezinho ele teria inventado esse pão em formato de lua crescente.

Então, após saber as mais possíveis teorias vamos à la France!

Foto: Dex Ezekiel via Unsplash

Maria Antonieta foi quem levou o kipferl até a França, quando se casou com Luis XVI. No jantar de casamento dos dois foram servidos esses pãezinhos maravilhosos! Dizem que Maria Antonieta teve que abandonar toda a sua família e sua antiga vida para viver na corte francesa, mas ela levou consigo esse pedacinho do seu lar, um pedacinho delicioso devemos concordar...

No território francês a receita foi aperfeiçoada, se tornando mais leve e folheada, passando a se chamar croissant, como conhecemos hoje em dia.

Depois de toda essa história só de pensar em um croissant a boca começa a salivar não é verdade? Mas não precisa passar vontade, pois aqui na Doce Delícia a gente tem vários tipos de croissants deliciosos para você experimentar! É só vir!

129 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo